ATALHOS
Introdução
Aúdio
E-mails e fone
Links
Pesquisas
Postagens
Enquete
Videos
Quem sou eu
Onde eu reuno
Seu recado aqui
O que cremos
Que igreja é essa?
Jesus Cristo
Louvar a homens?
Evangelhos Pirata

Você sabe para onde está indo?

Você sabe para onde está indo?
Você sabe o que fazer?

Quem pode responder minhas perguntas?

Por que nasci? De onde venho? Para onde vou? Que faço aqui? Por que o mal, o sofrimento e a morte existem?
Que respostas vou dar a estas e a muitas outras perguntas? Não consigo esquecê-las e apenas viver como um animal vive. Procuro, mas não encontro. A filosofia e a religião tentam me ajudar, porém cada uma de suas respostas me faz tropeçar em uma nova pergunta. Nasci por acaso, vivo por necessidade, logo e inevitavelmente desaparecerei. Poderia não ter nascido. Poderia não estar vivendo. Mas não posso deixar de morrer. Estou aqui e não entendo nada. É desesperador!
A não ser que... animo-me a ler um livro que reivindica, há muitos séculos, demonstrar a existência de um Criador, e me convenço de que Ele tem algo a me falar. Isso é interessante. Segundo ouvi dizer, esse livro dá respostas satisfatórias a todos os que se atrevem a abri-lo. Então, por que não ler o tal livro?
Decidi começar a ler a Bíblia. E ainda a leio. Cada dia descubro nela alguma coisa a mais sobre o meu Criador e Deus. Um Deus Grande, Justo, Santo e transbordante de amor, que me conhece e me revela o que realmente é a vida. Sim, a verdadeira vida consiste em conhecê-Lo, o “único Deus verdadeiro e a Jesus Cristo”, a quem Ele enviou “para que todo aquele que nEle crê não pereça, mas tenha a vida eterna” (João 17 : 3 e 3 : 16)


Fonte: Boa Semente, Devocional 2007



"Respondeu-lhe, pois, Simão Pedro: Senhor, para quem iremos nós? Tu tens as palavras da vida eterna. E nós temos crido e conhecido que tu és o Cristo, o Filho do Deus vivente." (João 6 : 68,69) --> Posicione o mouse nos textos para parar ou desacelerar




--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

29 de dez de 2009

A igualdade dos pecados em sua qualidade e quantidade


"Qualquer que odeia a seu irmão é homicida. E vós sabeis que nenhum homicida tem a vida eterna permanecendo nele." (I João 3 : 15)

Ao olhar julgador de nós homens, qualificamos os pecados em; graves e não tão graves, pesados e leves, em menos pior e mais pior, e em muitos e não muitos. Mas para Deus não há essa diferença e nem classificação de pecados, Ele vê de uma forma totalmente diferente, pois pensa completamente diferente de nós; "Porque os meus pensamentos não são os vossos pensamentos, nem os vossos caminhos os meus caminhos, diz o SENHOR." (Isaías 55 : 8) e por este fato, Ele vê todos os pecados como sendo iguais sem nenhuma diferença, vemos um exemplo: Para nós o homicídio é o ato de matar fisicamente alguém, mas para Deus é simplesmente odiar o próximo;
"Qualquer que odeia a seu irmão é homicida. E vós sabeis que nenhum homicida tem a vida eterna permanecendo nele." (I João 3 : 15);
"Ouvistes que foi dito aos antigos: Não matarás; mas qualquer que matar será réu de juízo. Eu, porém, vos digo que qualquer que, sem motivo, se encolerizar contra seu irmão, será réu de juízo; e qualquer que disser a seu irmão: Raca, será réu do sinédrio; e qualquer que lhe disser: Louco, será réu do fogo do inferno." (Mateus 5-21,22).
Segundo exemplo: Para nós o adultério é o ato sexual fora do casamento, mas para Deus é simplesmente olhar uma pessoa e cobiçá-la; "Ouvistes que foi dito aos antigos: Não cometerás adultério. Eu, porém, vos digo, que qualquer que atentar numa mulher para a cobiçar, já em seu coração cometeu adultério com ela." (Mateus 5 : 27,28). Portanto para Deus os pecados são todos iguais, são todos pecados, e recebem e receberão o preço a serem pagos, o inferno.

Nós também temos por costume julgar pela quantidade de pecados cometidos, mas Deus não leva em conta este fato, para Ele não importa a quantidade de pecados, um exemplo: Pensemos em dois pés de laranjeiras, uma deu um fruto e a outra está carregada de laranja, mas ao olharmos, veremos que as duas são laranjeiras, não há diferença em sua natureza, da mesma forma é assim que Deus vê todos os homens, não importando a quantidade de pecados cometidos, e sim a natureza do homem que é pecador, um homem que só cometeu um pecado e o outro que cometeu muitíssimos pecados, os dois são pecadores e por isto tem o mesmo destino, inferno, não importando a quantidade e sim as suas naturezas.
Deus é bem simples e esclarecedor quando dá a ordem a Adão, que morrerá e receberá o pagamento se desobedecesse (peca-se). O pecado de Adão aos olhos humanos, parece ser tão insignificante, mas para Deus é tão suficiente para lançar o homem no inferno. Para nós Deus também está sendo claro: "A alma que pecar, essa morrerá..." (Ezequiel 18 : 20), Deus não classificou em quantidade e nem qualidade os pecados para determinar se o homem vai ou não ser lançado no inferno. Basta a pessoa ter herdade o pecado de Adão para ser lançado no inferno. Observamos nos versículos a seguir, o que este "simples" pecado cometido por Adão trouxe à humanidade; "Portanto, como por um homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado a morte, assim também a morte passou a todos os homens por isso que todos pecaram. Porque até à lei estava o pecado no mundo, mas o pecado não é imputado, não havendo lei. No entanto, a morte reinou desde Adão até Moisés, até sobre aqueles que não tinham pecado à semelhança da transgressão de Adão, o qual é a figura daquele que havia de vir. Mas não é assim o dom gratuito como a ofensa. Porque, se pela ofensa de um morreram muitos, muito mais a graça de Deus, e o dom pela graça, que é de um só homem, Jesus Cristo, abundou sobre muitos. E não foi assim o dom como a ofensa, por um só que pecou. Porque o juízo veio de uma só ofensa, na verdade, para condenação, mas o dom gratuito veio de muitas ofensas para justificação. Porque, se pela ofensa de um só, a morte reinou por esse, muito mais os que recebem a abundância da graça, e do dom da justiça, reinarão em vida por um só, Jesus Cristo. Pois assim como por uma só ofensa veio o juízo sobre todos os homens para condenação, assim também por um só ato de justiça veio a graça sobre todos os homens para justificação de vida. Porque, como pela desobediência de um só homem, muitos foram feitos pecadores, assim pela obediência de um muitos serão feitos justos. Veio, porém, a lei para que a ofensa abundasse; mas, onde o pecado abundou, superabundou a graça; Para que, assim como o pecado reinou na morte, também a graça reinasse pela justiça para a vida eterna, por Jesus Cristo nosso Senhor." (Romanos 5 : 12,21).

Vemos então, que este "simples" pecado cometido pelo primeiro homem, trouxe pecado, morte e condenação para toda a humanidade. Humanidade a qual não ficará impune, pois o Justo Juiz há de julgar sem em nada faltar, e retribuirá o pecado com o inferno; "E, como aos homens está ordenado morrerem uma vez, vindo depois disso o juízo," (Hebreus 9 : 27).

Observamos portanto, o que a Palavra fala sobre a forma que Deus olha e classifica os pecados do homem.
Caso você se interessar por mais exposições sobre este caso ou estiver dúvida, deixe uma solicitação.


Postagem anterior

Próxima postagem

Vide Introdução

0 comentários:

Postar um comentário